STF determina sequestro de bens de Wilson Santiago, de Wilson Filho, do prefeito de Uiraúna e de parente

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Celso de Mello, determinou o sequestro dos bens do deputado Wilson Santiago (PTB), de parentes dele, do prefeito da cidade de Uiraúna, João Bosco Fernandes, e de alguns de seus parentes. A decisão foi tomada após uma representação feita pela Polícia Federal no âmbito da Operação Pés de Barro, que investiga o pagamento de propina nas obras da Adutora Capivara, no Sertão do Estado.

Wilson Santiago e João Bosco são investigados pela Polícia Federal e apontados como sendo os destinatários de propina. Além dos bens dos dois, foram alvo de sequestro os bens em nome da esposa de João Bosco Fernandes, Maria Juliet Gomes Fernandes, e dos filhos Camila Gomes Fernandes e Danilo Gomes Fernandes.

Já no caso de Wilson Santiago, o ministro determinou o sequestro dos bens da esposa dele, Maria Suely Alves de Oliveira Santiago, e dos filhos Joe Wilson Santiago Filho (deputado estadual paraibano), Mayara Raissa Alves de Oliveira Santiago e William Ramon Alves de Oliveira Santiago.

“Os Relatórios Parciais de Análise de Mídia nº 60/2019 e nº 61/2019, por sua vez, revelam conversas de whatsapp extraídas pelo Laudo Pericial nº 911/2019 que corroboram os fortes indícios de que os recursos financeiros obtidos por Bosco no esquema criminoso ora investigado estejam sendo lavados através da aquisição de bens semoventes (touros reprodutores e gado) e imóveis na zona rural de Uiraúna/PB em nome de terceiros”, relatam os investigadores da Polícia Federal no pedido.

“Em semelhante sentido, no Relatório de Análise de Áudio 027/2019 (arquivo de áudio “42. NETO MOTORISTA vs GEORGE 4”), Severino Neto, que tem pleno conhecimento dos meandros do esquema criminoso ora investigado e dele participa ativamente, relata indícios de possível ocultação patrimonial de Wilson Santiago em nome de seus filhos, mais especificamente de Mayara Raissa Alves De Oliveira Santiago, bem ainda que o Deputado Federal utilizaria o dinheiro da propina para pagar uma dívida de R$ 4.000.000,00 contraída contra um agiota da região de Uiraúna para saldar despesas de
campanhas políticas”, narra outro trecho do documento da Polícia Federal.

Entenda o caso

As investigações que originaram a ‘Operação Pés de Barro’ apuraram pagamentos de propina nas obras de construção da “Adutora Capivara”, no Sertão do Estado. A investigação possui vídeos que comprovariam a entrega do dinheiro a pessoas próximas a Wilson Santiago e, até mesmo, ao próprio prefeito de Uiraúna, João Bosco Fernandes, flagrado colocando recursos na cueca. Ao preço de R$ 24,8 milhões, a obra da Adutora de Capivara deveria ter sido concluída em junho do ano passado. Mas, mesmo com R$ 17 milhões já liberados, pouca coisa foi executada.

A defesa do deputado Wilson Santiago afirma que ele nunca recebeu propina e que não tem conhecimento de que seus assessores tenham recebido. “O deputado tem total interesse no esclarecimento desses fatos até para que ele possa comprovar a sua inocência”, declarou Luís Henrique Machado, advogado do parlamentar.

Nota do prefeito de Uiraúna:

O prefeito constitucional de Uiraúna, João Bosco Nonato Fernandes, foi surpreendido na manhã desse sábado (21) com a ação da Polícia Federal em sua residência e na residência de pessoas ligadas ao deputado federal Wilson Santiago, contudo não se absteve em nenhum momento de colaborar com as investigações e cooperar com o Trabalho do Ministério Público Federal.

O Processo tramita em sigilo. O prefeito está nesse momento sendo conduzido à capital João Pessoa, acompanhado de seus advogados, para prestar os devidos esclarecimentos que forem necessários à Polícia Federal. Os advogados de defesa do prefeito no entanto não tiveram ainda acesso ao conteúdo dos autos na íntegra, por tanto maiores esclarecimentos só serão passados após análise total dos fatos.
O prefeito João Bosco Nonato Fernandes e seus advogados estão confiantes de que a inocência do mesmo acerca das acusações será provada e a verdade reestabelecida tão breve seja possível.

Pleno Poder – João Paulo Medeiros

Please follow and like us:

You may also like...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *