Polícia russa detém ativista gay britânico no centro de Moscou

Por Sandro Fernandes

O ativista gay britânico Peter Tatchell foi detido pela polícia russa nesta tarde, em Moscou, enquanto fazia um protesto contra o presidente Vladimir Putin perto da Praça Vermelha. O ato aconteceu no coração da capital do país, duas horas antes da abertura da Copa do Mundo. Tudo foi minuciosamente organizado.

Poucas horas antes do protesto, Tatchell percorria sozinho a Casa da Diversidade, inaugurada hoje em Moscou para celebrar toda a diversidade humana. O britânico conversava com algumas pessoas e entregava a alguns jornalistas, selecionados por ele, um papel onde vinha escrito, em inglês, a frase: “Confidencial – Peter Tatchell vai fazer um protesto LGBT em Moscou”.

Além da frase, vinham os detalhes sobre o local da manifestação. Uma praça ao lado da Praça Vermelha foi escolhida como local do protesto individual.

Tatchell chegou à praça às 15h05, cumprimentou a imprensa que já estava discretamente posicionada e abriu – para os jornalistas – um pôster onde estava escrito, em inglês: “Putin não faz nada contra a tortura da Chechênia contra gays”. O ativista começou a fazer um discurso, já rodeado por câmeras de TVs estrangeiras.

Ele disse que o protesto era em nome dos russos e lembrou que vários nomes conhecidos da Rússia eram homossexuais, como o compositor Piotr Tchaikóvski. “Não podem acontecer relações esportivas normais com um regime anormal como o de Vladimir Putin”, declarou.

Três policiais que estavam ao lado se aproximaram calmamente para ver o protesto.

Um dos policiais começou a perguntar, em inglês, o que o britânico estava fazendo. Tatchell explicou o ato e mostrou a legislação russa, que autoriza protestos como esse, envolvendo somente uma pessoa, sem necessidade de autorização prévia.

Depois de 10 min de conversa, o ativista foi conduzido a um carro de polícia estacionado ao lado do Museu Histórico da Praça Vermelha, a 50m do local do ato. Ele ficou dentro da viatura durante 20 minutos e depois foi levado para a delegacia, onde prestou depoimento.

Enquanto Tatchell se explicava para o policial, um cidadão russo se aproximou e gritou: “Putin é um ótimo presidente. Ele é nossa escolha, a escolha do povo”.

É a terceira vez que o ativista é detido na Rússia. O governo russo garantiu a segurança dos estrangeiros que visitam a Rússia para a Copa do Mundo e disse que todos os torcedores, incluindo os gays, serão bem-vindos no país.

You may also like...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *