Após intimação judicial e ameaça de intervenção, diretoria do Sitrans se coloca à disposição da Prefeitura de Campina Grande para diálogo

A diretoria do Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros de Campina Grande (Sitrans) divulgou uma nota na qual informa que encaminhou ofícios ao prefeito de Campina Grande, Bruno Cunha Lima, se colocando a disposição para o diálogo. A nota foi enviada após o prefeito afirmar que a gestão poderia assumir parcial ou totalmente o sistema de transporte público do município, devido a paralisação realizada pela Sitrans.

A 2º Vara da Fazenda Pública de Campina Grande, também intimou o Sitrans a pagar uma multa diária de R$ 20 mil em caso de descumprimento à decisão judicial de reativar as linhas paralisadas e dar continuidade aos trabalhos.

Na nota, o Sindicato se posiciona dizendo que estão “apresentando de maneira formal e efetiva a mais plena disponibilidade para o diálogo referente aos encaminhamentos necessários para resolução de todas as pendências ora existentes”.

A Sitrans Campina Grande informou ainda que as empresas concessionárias do serviço de transporte público, “mantêm a mesma disposição para o mais pleno e transparente diálogo com o poder concedente, assim como sempre se portou, no intuito do melhor atendimento aos usuários do transporte público”.

O Sitrans inativou as linhas 903-B, 910, 902 e 955, que ligam o município de Campina aos distritos de Galante, São José da Mata, Jenipapo e Salgadinho/Estreito, desde o último sábado (7), alegando que a prefeitura Campinense descumpriu o acordo de repassar R$ 0,55 por cada passagem para o sindicato.