Mais de uma pessoa pode ser responsável por ‘agulhadas’, diz polícia

Subiu para 30 o número de pessoas feridas por agulhas durante o Maior São João do Mundo, realizado no Parque do Povo, em Campina Grande. Segundo a polícia, as agressões estão sendo promovidas por mais de uma pessoa. As primeiras vítimas das ‘agulhadas’ durante o São João começaram a ser atendidas no sábado (9) no Hospital de Emergência e Trauma de Campina Grande.

*Atualização: número de vítimas subiu de 29 para 30

Em entrevista à TV Correio e ao Portal Correio em Campina Grande, o delegado Henry Fábio, que investiga os crimes, afirmou já ouviu algumas das pessoas feridas e que determinou a intimação de mais vítimas para tentar solucionar o caso.

“Algumas pessoas já foram escutadas e outras vão ser intimadas. Estamos tentando identificar a materialidade do crime através das câmeras e das características dos agressores passadas pelas vítimas. Temos um perfil determinado (dos agressores) e é mais de um agressor agindo”, contou o delegado.

Uma mulher foi detida na noite dessa terça-feira (12) portando tesoura e material semelhante a seringas, no Parque do Povo. Ela teve os objetos apreendidos, foi ouvida e liberada em seguida. “O que ela portava, na verdade, não eram seringas e sim cateteres, usados para coletar sangue. Eram três cateteres e um deles estava com a embalagem violada. Tudo foi encaminhado para a perícia no Instituto de Polícia Científica. Ela disse que trabalha colocando piercing, como não existia nenhuma tipificação legal contra, foi ouvida e liberada, mas as investigações continuam”, afirmou o delegado Henry Fábio.

You may also like...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *