STJ forma maioria para manter afastamento de Wilson Witzel

11 dos 15 ministros ratificaram decisão que tirou governador do RJ do cargo

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) tem votos suficientes para manter Wilson Witzel afastado do cargo de governador do Rio de Janeiro por seis meses. Foram 11 votos favoráveis e apenas um contrário até o momento, no fim da tarde desta quarta-feira (2).

O julgamento continua com o voto de mais 3 ministros.

O presidente do STF, Dias Toffoli, negou mais cedo um pedido da defesa de Witzel para adiar o julgamento no STJ. Depois, os advogados pediram que as discussões ocorressem sob sigilo, sem transmissão pela internet.

O relator do caso, ministro Benedito Gonçalves, votou para que seja mantido o afastamento de Witzel. Foi ele quem determinou a medida na semana passada.

Witzel se pronunciou por meio das redes sociais, afirmando que respeita a decisão do STJ e compreende “a conduta dos magistrados diante da gravidade dos fatos apresentados. Mas, reafirmo que jamais cometi atos ilícitos”.

Confira os votos para manter o afastamento:

– Benedito Gonçalves (relator)

– Francisco Falcão

– Nancy Andrighi

– Laurita Vaz

– Maria Thereza de Assis Moura

– Og Fernandes

– Luis Felipe Salomão

– Mauro Campbell

– Raul Araújo

– Isabel Gallotti

– Antonio Carlos

– Marco Buzzi

As investigações contra o governador afastado vieram à tona durante a Operação Placebo que, em maio, fez buscas contra o governo fluminense. Ele também foi mencionado durante a Operação Favorito, da Lava Jato, que prendeu o empresário Mário Peixoto, acusado por chefiar um esquema que causou danos de R$ 100 milhões para a Saúde do Estado. Witzel também estava presente na delação feita pelo ex-secretário de Saúde, Edmar Santos.

A junção dessas três investigações geraram a Operação Trin in Idem que, na última sexta-feira (28), cumpriu 17 mandados de prisão, sendo seis preventivas e 11 temporárias. Além de Witzel, que foi afastado do cargo, foram presos o presidente do PSC, Pastor Everaldo, o ex-secretário de Desenvolvimento Econômico do Rio Lucas Tristão e o ex-prefeito de Volta Redonda, Gothardo Lopes Netto.

Confira a votação abaixo:

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *