Reunião em Campina Grande define medidas emergenciais para o Lar do Garoto

Foto: Ascom Para Bertrand Asfora, a união de esforços das instituições em resolver o problema e na apuração das mortes ocorrida, inclusive identificando os culpados, é de extrema importância. “Acredito muito na atuação conjunta de todos os órgãos para resolver os nossos problemas. A atribuição de apuração é do Ministério Público estadual, principalmente dos fatos ocorridos no Lar do Garoto, verificando os homicídios lá ocorridos”. Além do procurador-geral de Justiça, participaram da reunião pelo MPPB os promotores de Justiça Ranieri da Silva Dantas (da Criança e do Adolescente de Campina Grande), Catarina Campos Batista Gaudêncio (da Criança e do Adolescente de João Pessoa), Soraya Soares da Nóbrega Escorel (coordenadora do Centro de Apoio Operacional às Promotorias de Justiça – Caop – da Criança e do Adolescente e da Educação), Rodrigo Silva Pires de Sá e Francisco Bergson Gomes Formiga (presidente da Associação Paraibana do Ministério Público – APMP). A reunião em Campina Grande contou com as presenças do procurador-geral do Estado, Gilberto Carneiro; dos juízes Max Nunes, Hugo Zaher e Algacyr Rodrigues; do secretário de Estado da Segurança e da Defesa Social, Cláudio Lima; da representante da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Humano, Patrícia Alvarenga; do presidente da Fundação de Desenvolvimento da Criança e do Adolescente Alice de Almeida (Fundac), Noaldo Meireles; do delegado regional da Polícia Civil, Francisco Iasley Lopes; do superintendente regional da Polícia Civil, Luciano Soares; do comandante do Policiamento Regional I, coronel-PM Almeida Martins; e do comandante do 2º Batalhão da Polícia Militar, tenente-coronel Lamack.

]]>