Prefeitável diz não ficar constrangido em falar sobre Operação Famintos

“Não me constrange falar sobre isso”, disse o candidato à Prefeitura de Campina Grande pelo PSD, Bruno Cunha Lima, durante sabatina realizada pela Rádio CBN, quando questionado sobre os desdobramentos da Operação Famintos, que investiga fraudes na licitação de merenda escolar na cidade.

De acordo com Bruno, ele confia que a Justiça, Ministério Público Federal e a Polícia façam a devida apuração e os que forem identificados como culpados sejam punidos, uma vez que não faz distinção entre operações.

Ainda sobre o assunto, o candidato foi questionado como se coloca contra a corrupção e aceita o apoio do vereador Renan Maracajá (PSDC), um dos investigados da Famintos, que chegou a ser condenado em 1ª instância.

Em resposta, ele pontuou que Renan faz parte de outra legenda e a decisão da candidatura dele é do próprio partido ou da Justiça Eleitoral.

“O candidato faz parte de um outro partido, partido que tem além dele mais 34 candidatos. Eu não posso culpar todo o partido pelo simples fato de ele estar lá”, completou.

Ainda no assunto corrupção, se eleito, Bruno prometeu criar um gabinete de integridade de combate à corrupção vinculado à chefia de Gabinete do prefeito.

“Para combater e acompanhar, através de núcleos de combate à corrupção em todas as secretarias onde há mais movimentação de dinheiro, desde os processos de licitação, até o pagamento dos contratos, como forma de evitar tudo isso que está acontecendo”, ponderou.

O representante do PSD também colocou, na ocasião, propostas para educação.

– Vamos instalar em Campina Grande o reforço escolar contraturno. O aluno que estuda pela manhã vai estudar à tarde também para compensar o ano letivo perdido para todos, inclusive na rede privada de ensino – afirmou, além de pontuar que deve iniciar parcerias público-privadas na área.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *